social big data

SOCIAL BIG DATA

A forma como interagimos uns com os outros mudou com o passar do tempo. Assim como a maneira como enxergamos o mundo à nossa volta, acabamos criando novas culturas, novas metas sociais e novos conceitos de vida. As necessidades que uma sociedade possui hoje são totalmente diferentes das que existiam há cinco anos. Estamos mudando cada vez mais rápido, e esta distância entre uma transformação e outra diminui a cada ano. A globalização, os avanços tecnológicos, a expansão da internet e suas funcionalidades são fatores contribuintes para a criação de uma nova sociedade que gira em torno do compartilhamento de informações.

Por dia são compartilhadas trilhões de informações de todos os tipos no mundo, por este motivo a análise de dados se faz tão importante para as empresas. É preciso separar e categorizar corretamente essas informações para que elas façam sentido e possam ajudar no planejamento de comunicação e marketing empresarial. Seja qual for o objetivo da sua empresa, compreender a importância das informações e como estudá-las para se tornarem uma vantagem competitiva perante os concorrentes, é um grande passo para alcançar as suas metas no mercado atual.

Com esta aglomeração intensa de informações, surge a necessidade de servidores capazes de processar esses dados de forma rápida e com grande capacidade de armazenamento. E com a internet, ocorreu a possibilidade de armazenamento em nuvem, o Cloud Computing, oferecendo mais velocidade na obtenção de informações. Esta grande variação e concentração de dados chama-se Big Data, possibilitando as empresas terem um maior domínio dos ambientes em que estão inseridas.

Dentro deste contexto, as redes sociais se tornaram grandes fontes de informação para as empresas e um espaço para os consumidores compartilharem suas experiências, trazendo dados valiosos gerados de forma espontânea, e consequentemente, contribuindo para a criação de um planejamento mais elaborado e direcionado. Pesquisas já demonstram que as plataformas sociais são o novo SAC, uma vez que os usuários buscam informações diversas e soluções através das páginas das empresas. E é esse trabalho que a junção do Big Data e do Social Media realiza.

Porém, atualmente, não basta apenas estar presente nas redes sociais e produzir postagens constantes, por mais relevantes que possam ser. É fundamental a criação de estratégias que impactem de forma eficaz o público que se quer atingir, e para tanto, é necessário obter as respostas para definir um planejamento de execução. E muitas dessas respostas podem ser encontradas através do monitoramento de mídia social.

 

  • ANALISAR E CONQUISTAR

O Social Big Data, através de uma coleta de dados direcionada, apresenta uma análise detalhada do perfil do público-alvo que se quer estudar, como também de determinados nichos e segmentações. Com estes resultados que compreendem uma visão mais holística dos indivíduos, as empresas terão informações mais precisas para definir metas, traçar estratégias, antecipar tendências de consumo e desenvolver uma personalização de serviços e produtos com base nas necessidades reais do consumidor.

Existem 5 resultados importantes advindos da análise do Social Big Data que podem ser aplicados para melhorar o planejamento de marketing e comunicação da sua empresa.

– Conhecendo o seu público

Entre a imensa quantidade de informações que podem ser retiradas das redes sociais, podemos localizar as que realmente importam através da análise do Social Big Data, transformando os dados em estratégias para a empresa. E uma dessas táticas é a definição de público-alvo. A empresa muitas vezes já possui uma definição do seu público, porém pode haver outros nichos descobertos pela análise e que podem ser importantes e estrategicamente explorados.

Além da possibilidade de encontrar públicos secundários de grande relevância para serem explorados, os resultados podem apresentar um estudo mais profundo do seu público-alvo através das interações nas plataformas, resultando em um direcionamento mais assertivo.

– Conteúdo focado

Através da análise dos dados obtidos como cliques, compartilhamentos, comentários e curtidas a empresa pode identificar o comportamento do seu público. Com essas informações organizadas corretamente a produção de conteúdo se torna mais eficaz, exatamente por estar entregando o que os seus seguidores estão esperando.

– No tempo certo

Os padrões de comportamento do usuário provindos da análise do Social Big Data servem também para delimitar o tempo correto de abordar os seus usuários sobre determinado assunto ou até mesmo incitá-los diretamente a comprar o seu produto. Porém, o envolvimento do usuário com a sua página não é um indicador de que ele é um alvo imediato para realizar a compra. Tudo depende do momento em que ele está inserido e a equipe de marketing pode analisar esse tempo através da pesquisa do perfil do usuário e dados colhidos.

– No formato certo

Há vários formatos disponíveis pelas redes sociais e é necessário compreender o que o seu público mais espera encontrar e o que mais os motivam. Para tanto, é necessário saber em quais dispositivos eles acessam as suas páginas para aperfeiçoar a experiência do seu público.

O Social Big Data ainda pode indicar em qual plataforma o seu público possui mais envolvimento, demonstrando onde é necessário ter mais atenção, onde investir mais ou obter mais presença dependendo do direcionamento que for definido.

– Prevendo o futuro

Com toda informação conquistada através do Social Big Data, a companhia recebe uma grande oportunidade de criar um padrão de comportamento do seu público e analisar as transformações que irão inevitavelmente ocorrer. Esta tática dita o tempo certo de ação do marketing e a forma correta de se comunicar, desta maneira a empresa conquista vantagem competitiva no mercado.

 

  • CASOS DE SUCESSO

– Governo dos EUA

O brasileiro Ricardo Cappra, cientista de dados e líder de um time de especialistas em distintas disciplinas, desenvolveu uma plataforma voltada para a análise de dados para auxiliar a tomada de decisões em relação a serviços prestados à população. Ela foi implementada na gestão do ex-presidente Barack Obama e agrega o Big Data ao conceito de cidades inteligentes. A ideia é ajudar as empresas, organizações e cidadãos na formação de projetos mais eficazes através das análises de dados.

O desenvolvimento consiste em coletar, organizar e analisar o dados dentro de um determinado modelo que otimiza a obtenção de resultados. Essas informações são postadas pelos cidadãos nas plataformas sociais, para depois o sistema cruzar todas essas informações e gerar resultados para as tomadas de decisões. Desta maneira o governo obtém diretamente da população quais são os ajustes mais urgentes para serem resolvidos e os que precisam de um prazo maior de resolução.

– A CORRIDA DA NIKE

A Nike tirou proveito para conhecer melhor o seu público através de um app desenvolvido para gerar valor à marca e entregar algo a mais aos seus consumidores. A empresa desenvolveu um software, o wearable Nike+, que informa a quantidade de passos do atleta, o tempo e o caminho percorrido através do GPS, entre outras funcionalidades atrativas para os amantes de corrida.

O que acabou enviando informações valiosas para a marca foi a integração do wearable com as redes sociais. O compartilhamento dos resultados de corridas nas plataformas gerou uma “competição” entre os usuários, o que rendeu a marca um grande número de dados que foram sendo gerados diariamente. Com essas informações a Nike pode compreender o seu público com maior qualidade e desenvolver novos produtos.

ABRACE O SOCIAL

Não há como uma empresa que queira obter uma colocação plausível na mente do seu público, e que tenha a intenção de melhorar a sua imagem, não se importar com os dados que são compartilhados nas redes sociais. Através do Social Big Data, podemos não somente compreender o comportamento do consumidor, mas descobrir insights de mercado e obter direcionamentos que talvez pudessem nem ocorrer à equipe.

Porém, há iniciativas de fazer todo o processo da utilização das informações retiradas do Big Data por inteligência artificial, porém a presença humana é totalmente válida no processo de análise. A interpretação emocional e o cruzamento com a racional é um importante ciclo para um direcionamento assertivo e conclusivo, sendo um exemplo de erro o caso do Facebook que dispensou a curadoria de conteúdo do Trending e no primeiro dia sem a presença humana, as máquinas lotaram automaticamente o feed com notícias falsas.

Abrace as mídias sociais e aproveite o poder do conteúdo que ela pode oferecer à sua empresa. Através de uma análise de qualidade e confiável é fácil conquistar os objetivos e traçar metas que impactarão o seu público-alvo.

Compartilhar: