Saiba o que é e como aplicar Design Thinking aos seus projetos

Você sabe o que é e como aplicar Design Thinking aos seus projetos? Não? Então aqui é o seu lugar, pois preparamos este conteúdo para falar justamente sobre isso. De característica sustentável, humanista, holística e direcionada no cliente, o objetivo por trás desse conceito é fazer com que os gestores pensem como designers, procurando soluções criativas e inovadoras para o negócio.

O ponto a destacar, diante disso, é que não estamos falando de uma metodologia, mas de uma abordagem de pensamento que visa garantir um olhar de ponta a ponta no que se refere ao desenvolvimento de serviços, produtos e/ou estratégias.

De qualquer maneira, este artigo foi elaborado para apresentar o que é Design Thinking e como aplicá-lo aos seus projetos. Continue a leitura e confira. Não perca!

Mas, afinal, o que é Design Thinking?

Para entender o que é Design Thinking, a melhor maneira está no entendimento do que ele não é. Nesse sentido, vale repetir o fato de que não estamos nos referindo a uma metodologia. Essa observação é importante para deixar claro que não há fórmula pronta e nenhum tipo de passo a passo a seguir.

Design Thinking não é uma solução, mas serve como um caminho para encontrar as possíveis soluções de um determinado problema, por exemplo. Embora tenha sua inspiração no campo do design, ele também não tem nenhuma relação prática com o assunto.

Mas e então, sobre o que estamos falando? De acordo com o fundador do Design Thinkers Group, Arne Von Oosterom, Design Thinking é uma abordagem que unifica o pensamento de negócios ao pensamento criativo para gerar valor e promover soluções de longo prazo: o foco deve ser direcionado para a inovação centrada no ser humano.

Em termos práticos, ele auxilia na definição dos objetivos e dos caminhos que devem ser percorridos para alcançá-los. A ideia não é apenas conquistar novos e bons resultados, mas, sim, encontrar uma forma de mantê-los e otimizá-los sempre que possível.

Como surgiu?

Apesar de ter sido impulsionado pela evolução da internet e o desenvolvimento de novas tecnologias, o Design Thinking é muito mais velho que a maioria das pessoas (para não dizer todas) que passarão por este texto. Ele surgiu há mais de 70 anos!

Conforme a Interaction Design Foundation, uma organização sem fins lucrativos fundada na Dinamarca, a ideia de utilizar novos conceitos e abordagens para solucionar problemas complexos foi fortalecida durante a Segunda Guerra Mundial: esse trágico evento de nossa história mudou drasticamente os modelos de produção, design e gestão, obrigando as empresas a adaptarem grande parte dos seus processos.

Cientistas, arquitetos e engenheiros começaram a confluir para a resolução dos problemas, trabalhando de modo coletivo e em detrimento das mudanças sociais que esse período impulsionou. Em vista disso, o mundo passou a perceber o surgimento de novas tendências de consumo e de novas potências globais.

Essa maneira unificada de trabalhar continuou em constante evolução até meados da década de 50, quando os primeiros referenciais de Design Thinking foram aplicados em campos como a indústria farmacêutica e a comunicação.

Com o passar do tempo, diversas outras áreas chegaram à conclusão de que também poderiam alavancar os seus resultados se seguissem as referências, que diziam para “dar um passo para trás para visualizar o todo”. Foi a partir de então que várias organizações do planeta começaram a se reestruturar, modernizando os processos já existentes e visualizando o futuro, dividindo-o em objetivos de médio e longo prazo.

Toda essa trajetória culminou no conceito de Design Thinking que é aplicado nos dias de hoje. E qual é? A resposta: a junção do que os consumidores desejam, mais o que é viável para eles (mercado) e mais o que é possível tecnologicamente falando.

Quais são as suas principais etapas?

As etapas do Design Thinking são quatro:

  • imersão;
  • análise;
  • ideação;
  • prototipagem.

No entanto, quando analisadas na prática, elas podem ser resumidas pelos seguintes passos:

  • identificação de onde encontrar oportunidades de inovação;
  • descoberta das oportunidades de inovação;
  • desenvolvimento das oportunidades de inovação (produtos e/ou serviços);
  • teste de ideias (protótipos e/ou versões beta);
  • implementação das novas soluções.

Como aplicar Design Thinking aos seus projetos?

Vamos agora ao que, de fato, pretendemos com este artigo, mostrar como aplicar o Design Thinking aos seus projetos. Os passos a seguir certamente o ajudarão:

  • conversar com o seu público para melhor conhecê-lo;
  • montar uma equipe multidisciplinar e colaborativa;
  • testar as suas ideias.

Conversar com o seu público para melhor conhecê-lo

Conversar com os consumidores é essencial para que você possa compreender suas necessidades, desejos e expectativas no que diz respeito ao seu negócio. É a partir disso que sua empresa conseguirá criar melhores soluções.

Quando em contato frequente com o seu público, é certo de que você obterá insights valiosos para a sua marca. Podem ser relacionados ao marketing, ao atendimento, a um determinado produto, serviço etc. Enfim, é fundamental conhecê-lo muito bem.

Montar uma equipe multidisciplinar e colaborativa

Um dos pilares centrais do Design Thinking é a formação de uma equipe com diversos tipos de conhecimentos. Isso porque a mistura de perspectivas e experiências é crucial para a produção de resultados verdadeiramente satisfatórios.

Testar as suas ideias

O teste das suas ideias é o momento em que você chegará à conclusão do que funciona ou não, o que pode ser melhorado e o que deve ser descartado, por exemplo. Esse contexto corresponde às etapas da prototipagem, que podem envolver produtos ou serviços.

Isso significa que diferentemente do que muitos pensam, um protótipo não precisa ser necessariamente um objetivo físico. Softwares e até mesmo os storyboards que representam um nova ideia podem ser incluídos nesse quadro.

Por fim, quando seus protótipos estiverem prontos, mostre-os aos prováveis utilizadores (clientes ou funcionários) para ver o que eles acham. Faça perguntas e observe as respostas com muita atenção, pois para uma abordagem de Design Thinking matadora, nada pode ficar de fora do âmbito relacionado ao que você pretende fazer.

Agora que você já sabe como aplicar design thinking aos seus projetos, não pode deixar essa estratégia de lado, pois ela ajudará a garantir o sucesso do seu negócio.

Se quiser saber mais e deseja ficar por dentro de outros conteúdos tão interessantes quanto a este, assine a nossa newsletter agora mesmo!

Compartilhar: