Influenciadores digitais são os novos líderes de opinião

Com a evolução constante dos meios de comunicação, diante do advento das novas tecnologias de informação, assim como das plataformas diversas de interação, há muitas explicações que tentam respaldar as mudanças importantes que estamos notando na capacidade de influência direta. Isso, principalmente, na grande mídia e perante a percepção do consumidor ativo e do próprio comportamento político social da população.  O ato de influenciar, segundo o dicionário, tem a ver com a capacidade de ocasionar um resultado diante de algo ou de alguém.

Conforme a internet vem se expandindo e evoluindo de forma avassaladora, os usuários da rede também vêm evoluindo proporcionalmente. Assim como a digitalização presente em todo o mundo, o marketing também, a cada dia, precisa se reinventar, com campanhas inovadoras, com a utilização de personagens e figuras relevantes, além da junção de diversas plataformas e estratégias que construam a visão e o objetivos das marcas. Com essa globalização, o marketing digital tem sido uma ferramenta indispensável para a marca ou empresa que quer se destacar perante seus concorrentes.

No dia a dia envolvendo consumidores, vendas e propagandas, é inegável que o ambiente digital como um todo seja o astro, principalmente, das redes sociais. Esse poder avassalador da Era Digital vem sendo percebido e trabalhado pelas empresas que embarcam na tendência digital, unindo sua marca, produto ou serviço à imagem e influência de blogueiros, famosos e youtubers que dominam o mundo virtual. Por isso, estamos na conhecida “Era da Influência Digital”. Nela, o Marketing de Influência é constantemente usado, gerando um retorno positivo no mercado, principalmente, diante de gerações mais novas e adeptas a esse meio.

Acredita-se que esses jovens representam um potencial de consumo que deve ultrapassar R$ 75 bilhões até 2019.  Segundo a pesquisa da Nielsen Company, os dados fortalecem o interesse das marcas pelos chamados millennials, geração de 21 a 34 anos. Além disso, a participação desse grupo de consumidores será 8% maior até o final da década.

Buscando a autenticidade das marcas

Com a ampla busca de autenticidade das marcas diante de seus produtos e serviços, há grande expectativa dos consumidores perante o “novo”, o “diferente” e ao que grandes figuras, artistas, atletas e demais agentes da mídia podem entusiasmar. Ainda que seja presente o aumento na aplicação de métodos quantitativos baseados em dados e informações cruzadas, como big data e tecnologia de marketing, há a necessidade de novos métodos que atinjam o consumidor e cliente.

Por isso, os profissionais de marketing vêm buscando mudar a mentalidade tradicional e corriqueira, para atrair maneiras que evidenciem também a mudança qualitativa de suas estratégias.  Diante do que espera o atual consumidor, um levantamento da Social Media Trends mostrou que 92,1% das empresas brasileiras estão presentes nas redes sociais, mas que seus consumidores modernos esperam relacionamentos autênticos com as marcas. Portanto, os dados demonstram a busca pela valorização dos influenciadores nesse quesito. Dentre os principais exemplos estão as celebridades, que têm o relacionamento monetária para promover produtos e marcas.

Outro recente estudo, que salienta essa percepção favorável para os influenciadores digitais, foi feito pela Rakuten Marketing Internacional, no Reino Unido. Os dados, que podem ser aplicados também no Brasil, concluíram que 30% dos pais afirmam a propensão de comprar algo aos seus filhos se houver a recomendação de algum influenciador digital. O estudo demonstra ainda que outros 23% sofrem influência deles sobre a confiança quando é para tomar determinada decisão.

Valores dos influenciadores digitais

Porém, com o aumento da visibilidade e de resultados positivos que demonstram a assertividade desses influenciadores, essas celebridades digitais vêm cobrando cachês cada vez mais altos, principalmente os que têm milhares de seguidores. Dentre os mais conhecidos estão Whindersson Nunes, Thaynara OG, Neymar, Bruna Marquezine, Tatá Wenerck, Marina Ruy Barbosa, Ivete Sangalo, entre outros. São, sem dúvida, grandes influenciadores, engajadores e com valores importantes para campanhas publicitárias ou para anúncios rápidos nas suas próprias redes sociais.

Por sua vez, estão surgindo também novos instrumentos que são capazes de aproximar os influenciadores digitais de diversos setores das empresas interessadas nesses serviços.  Em tempos de crise, para que haja uma contenção de gastos, a aposta pode ficar com os microinfluenciadores, perante as estratégias de marketing e comunicação. Cada vez mais, os resultados são perceptíveis e favoráveis para as marcas que escolhem essa opção, além de fidelizar um volume expressivo de pessoas.

Um estudo recente feito por uma empresa de Branded Instagram Creative, a Takumi, analisou 500 mil perfis no Instagram e o poder de influência no mercado. Os dados demonstraram que influenciadores com até mil seguidores geram engajamento de até 9,7%. Os microinfluenciadores podem engajar cerca de cinco vezes mais em relação aos que possuem 100 mil seguidores. A pesquisa ainda revelou que 82% dos consumidores declaram que consideram efetiva e benéfica uma ação a partir da recomendação de um microinfluenciador.

Diante dessas possibilidades trazidas por essas pessoas que possuem engajamento e podem trazer bons frutos a empresas e marcas, é necessário ter acesso a plataformas, profissionais qualificados e ferramentas que demonstrem os números favoráveis. Entre algumas delas, estão FameBit, Influence.co, Keyhole, Influhub e Kear, que ajudam a gerar alguns dados assertivos dos personagens, assim como dashboard, briefings, propostas e demais análises de seguidores e redes sociais.

Além disso, é necessário ter em mente que influenciadores com muitos seguidores podem atingir mais pessoas, mas que podem não estar completamente interessadas no que eles dizem. Já os microinfluenciadores obtêm um grupo que realmente está interessado nas opiniões expostas.

Campanhas aderem a influenciadores

Com o intuito de incentivar e captar a atenção do público, diversas marcas e instituições vêm demonstrando serem adeptas aos influenciadores digitais. Recentemente,  o banco de sangue do Instituto de Hematologia do Rio de Janeiro (Hemorio) criou uma ação com artistas e youtubers chamada #TrocoLikesPorSangue. Entre as personalidades que apoiam a causa estão Mariana Rios, Isabella Santoni e Rhaisa Batista. A iniciativa chama as pessoas a doar sangue, garantindo que quem publicar uma foto do gesto com a hashtag da campanha terá sua foto curtida pelos influenciadores digitais.

 

 

A Samsung, como parte da estratégia de marketing para divulgar os diferenciais dos aparelhos Galaxy S9 e S9+, promoveu uma ação com o fotógrafo Flávio Samelo e a atriz e modelo Gabriela Lopes na Bravus Race. Os influenciadores, que estarão participando da competição, registraram os melhores momentos pelas lentes do Galaxy S9, publicando os conteúdos tanto nas redes sociais dos dois artistas, quanto nos canais da marca, tendo a presença das hashtags #GalaxyS9 e #ACameraReimaginada.

 

 

A Livelo, uma das grandes empresas de fidelidade do Brasil, iniciou sua nova campanha na TV, com canções cantadas por Sidney Magal. A ação comemora os dois anos da empresa e estimula os clientes a participarem da promoção “Show de Aniversário Livelo”. As pessoas ainda concorrem a prêmios que vão de 10 mil a 1 milhão de pontos. Além dos filmes e jingles, a Livelo fez parcerias com diversos influenciadores digitais, como Hugo Gloss, Erick Jacquin, Do Pão ao Caviar, Arlindo Grund, Karina Bacchi, Didi Wagner, entre outros. Eles têm estimulado seus milhares de seguidores a participarem da promoção.

 

 

Em uma ação visando a Copa do Mundo na Rússia, o SporTV reuniu 14 influenciadores digitais para promover a transmissão dos jogos. O projeto “Sou Influenciador na Copa” tem como meta gerar desafios aos participantes, sendo que o vencedor assistirá à final do torneio em Moscou. Participam da campanha nomes que brincam com o futebol, como Muca Muriçoca, Cruzoeiro e Corinthians Mil Grau. Cada um terá que realizar cinco missões, como participar de um campeonato de Fifa 2018; organizar uma festa para assistir uma partida; cantar o hino da seleção que representam; se fantasiar de algum ídolo da Copa; e reproduzir um gol marcante do Mundial. Os vídeos serão publicados nas redes sociais do Sportv e na plataforma E-SporTV. O vencedor se dará a partir de quem gerar o maior número de engajamento em suas ações.

 

 

São exemplos que demonstram como os conteúdos e ações de influenciadores criam e inspiram as pessoas a adquirirem produtos, serviços ou a serem seguidoras de marcas e instituições. O que também pode salientar um impacto de longo alcance, sendo usado para engajamento orgânico diante de publicidades pagas.

A partir do momento que os consumidores se sentem parte da autêntica estratégia de marketing de qualquer marca eles se estimulam a criar e compartilhar conteúdos vistos pelos influenciadores. O que mostra também uma inspiração baseada em criação, conversão e lealdade.  Por isso, atualmente, as marcas devem explorar uma abordagem mais sofisticada e autêntica, para alcançar os principais segmentos de consumidores.

 

Autor: Barbara Helena – Analista de Comunicação da MITI Inteligência

Compartilhar: