Marketing 4.0

Entenda o Marketing 4.0 para aplicá-lo em sua empresa

O relacionamento que envolve o marketing tradicional e o digital gera, constantemente, debates entre os estudiosos e profissionais da área de comunicação e mercado. É quase impossível que quem trabalhe com o setor e, principalmente, com o marketing digital não conheça o professor universitário, Philip Kotler. O conceituado autor americano já fez parte de diversas listas que o contemplaram como uma das pessoas mais importantes no segmento de influenciadores de marketing em todo o mundo.

Recentemente, o estudioso, que trabalha para empresas como Disney, Nike, Ford, entre outras, lançou um livro para explanar e debater sobre o Marketing 4.0, que vem sendo questionado e evidenciado em pautas de importantes veículos de comunicação. O livro é baseado na continuação do que havia abordado na obra Marketing 3.0, tendo os mesmos colaboradores e analistas. O diagnóstico principal se dá a partir das transformações que fizeram parte dessa última década, diante do comportamento do consumidor em relação ao âmbito e ferramentas digitais.

É sabido que não basta apenas ter um produto ou um serviço de qualidade e excelência, já que cada vez mais as pessoas que consomem utilizam a prospecção de almejar o sucesso. Além disso, as empresas trabalham arduamente para estarem em maior evidência em relação aos seus concorrentes, tendo os pilares do bom preço, ótimo atendimento e qualidade do que se oferta como essenciais para essa conquista diária, como já definido pelos 4 Ps de marketing. A partir deles, é necessário obter outras medidas que corroborem para tal sucesso. Dentre elas, localização, marketing, comunicação, branding (gestão da marca), logística e gerar diferenciais atrativos que captem o consumidor e o fidelizem, agora identificados pelos 8 Ps de marketing.

Tendo a meta de vender mais e ter mais sucesso do que as concorrentes, é do conhecimento da maioria que o meio digital e a era do marketing contribuem de forma eficaz para que a marca atinja sua excelência dentro do mercado. Uma pesquisa feita no ano de 2015 pela empresa PwC demonstrou essa visão, revelando que 77% dos brasileiros tendem a serem influenciados pelas redes sociais na hora de decidirem uma compra.

Com esse número expressivo que demonstra a maior parcela da população adepta ao meio digital para comprar e fidelizar uma marca, é notório que a transformação da comunicação de forma geral abriu possibilidades ao marketing digital. O imediatismo é o porta-voz dessa era. Por isso, é necessário que a empresa utilize ferramentas e profissionais qualificados que estruturem e criem ações nas redes sociais. Além de somente criar as páginas e os perfis, é extremamente necessário, para o êxito, gerar estratégias que atinjam diretamente o consumidor, no seu momento adequado. Para que assim seja ampliado o relacionamento entre as partes, utilizando estratégias de SEO (Search Engine Optimization) e melhorando a posição da empresa nas buscas do Google. Além, é claro, de proporcionar demais atividades que desenvolvam a identidade da marca.

Diante dessas possibilidades que respaldam a condição de alavancar as estratégias das empresas no meio digital, em busca de gerar mais insights para o público-alvo, é necessário entender como o meio está caminhando para o Marketing 4.0. De forma apenas geral, essa denominação tem a ver com a integração mais energética dos diversos canais de marketing e o constante aumento avassalador do consumo de conteúdo digital no mundo.

Cronologia do Marketing

Antes de entender o que é a tão famosa era do Marketing 4.0, salientada e estudada por Philip Kotler, é necessário ter o conhecimento das ‘eras’ que a antecederam. Para isso, vamos aprofundar as principais características anteriores também analisadas pelo autor.

Em um primeiro momento, abordando a Revolução Industrial, o autor explanou a fase do marketing 1.0, que foi relacionada à conhecida era dos produtos. À época, a partir dos anos 70, era necessário que os clientes se adaptassem aos produtos disponibilizados pelas marcas e empresas. Nela, havia pouco esforço da corporação em atender as reais necessidades do consumidor.

O marketing 2.0, relacionado à Era da Informação, já foi marcado por iniciar a tomada de iniciativas das empresas em se preocuparem mais com os clientes e compradores. O aumento de concorrentes pode ser visto como um gatilho para essa mudança de conceito e de forma de agir. O novo cenário fez com que as empresas entendessem e estudassem mais a satisfação dos consumidores, tendo em vista que eles começaram a ter mais opções de compras.

Com a virada do século XXI, também nasceu o conceito que baseou o marketing 3.0. Ele abordou de forma mais humana o cenário envolvendo empresa e comprador. Nessa era, os consumidores passaram a serem vistos como pessoas de espírito, valores e propósitos, e não somente como clientes que gastam seu dinheiro. Com essa nova percepção, os consumidores foram apresentados com anseios e necessidades. Assim, as corporações de venda de serviço e produto começaram a focar em serem mais humanas, tendo valores semelhantes aos de seus clientes.  O que passou a ser figura essencial no planejamento estratégico das marcas.

Marketing 4.0 e o atual momento

Com a tecnologia mudando e evoluindo a cada dia, os consumidores acompanham essas transições fazendo com que suas expectativas cresçam em uma mesma proporção. Por isso, inclusive as estatísticas do Google vêm demonstrando como o marketing vem crescendo em números de buscas e de assuntos relacionados aos meios digitais. Nos últimos doze meses analisados, as principais regiões a gerarem esse termo de pesquisa foram, em ordem, São Paulo, Santa Catarina, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul e Paraná, sendo estes os cinco principais estados.

Já o assunto Marketing 4.0: Do tradicional ao digital obteve a primeira colocação durante o período avaliado, obtendo 450% das buscas do Google no setor. Também em ascensão, porém, como consulta relacionada, está o termo Marketing 4.0, ficando em 5º lugar dentre os principais do período, com mais de 300%. São dados que exaltam a importância e crescimento dessa ‘era’ nos últimos tempos.

Com isso, entende-se que hoje os clientes buscam experiências personalizadas, com direcionamento estratégico que facilite a tomada de decisão e, principalmente, o encontro dos serviços e produtos tão desejados. Um exemplo que pode ser notado na mudança de comportamento é com relação àquelas mensagens padronizadas, geradas pelas empresas. Elas, segundo observado pelos analistas, não são mais aceitáveis pela massa. Por isso, a automação de marketing vem corroborando para a nova percepção, que busca criar ações específicas, como no e-mail, para cada assinante. Essa tecnologia contribui para o melhor planejamento do marketing digital.

Diante dessas mudanças e da alta busca pelas novidades do setor, chegamos ao então momento atual. Além de saber os conceitos que englobam o Marketing 4.0, é necessário, principalmente, saber como essas mudanças impactarão os negócios das marcas e dos empreendedores. Segundo Kotler, essa era permite o aprofundamento do marketing 3.0, centralizando mais o cliente e seus comportamentos em conjunto com as últimas tecnologias do mercado.

Um dos pontos que permeiam o período, de dez anos para cá, é a utilização expressiva da internet permeando a vida das pessoas em tempo quase que integral, principalmente pela facilidade do mobile. De acordo com o autor, o Marketing 4.0 tem o objetivo de combinar e integrar os meios de comunicação off (marketing tradicional) e o online (marketing digital), para gerar a fidelidade do cliente. Essas são as conhecidas “estratégias 360º”, em que a ação independe de o consumidor estar off ou on. Para Kotler, essa nova era 4.0 é um esforço para olhar para o marketing em uma dimensão diferente, “a conectividade e a tecnologia alteraram a forma como abordamos o marketing”.

A convergência tecnológica dos meios fará com que haja a migração do tradicional para o digital. A partir disso, entende-se que o marketing, segundo a visão do americano, “se adapte à mudança da natureza do cliente e aos caminhos do cliente na economia digital”.

Mudanças dessa Nova Era para as empresas

Além dessas percepções, é preciso entender que o Marketing 4.0, segundo o Growth Blog, apresenta grandes proporções a serem analisadas.

-“Incluso” é a palavra-chave: diferente do que era visto nas décadas anteriores, que era a exclusividade dos produtos e serviços, hoje a marca deve se valorizar mais a partir da sua capacidade de incluir mercados emergentes para o consumo.

– Fim das hierarquias: o fluxo constante de influência e de inovação, que anteriormente era vertical, hoje se torna horizontal. Isso quer dizer que no Marketing 4.0 as empresas e os clientes estão no mesmo barco, lado a lado.

Sai o individual, fica o social: nessa nova era 4.0 do marketing, o consumo não é visto mais como apenas um ato individual. Agora, com o uso expressivo da internet, o compartilhamento de experiências, troca de ideias e críticas se tornam indispensáveis para os comportamentos de compra. Diante disso, o “reconhecimento social” é fundamental e determinante nesse quesito.

Assim, é esperado que cada vez mais as empresas se adequem e integrem o melhor dos canais disponibilizados, tanto off quanto online, optando por medidas que agreguem o imediatismo em relação ao cliente. A estratégia é conhecida como “omnichannel”, otimizando também a relação múltipla entre marca e consumidor. Um dos exemplos de ferramentas que vêm sendo utilizadas pelo Marketing 4.0 é o Big Data. A tecnologia adapta-se às necessidades do cliente. Com ela, as empresas podem gerar dados que identificam mais assertivamente o que o consumidor realmente busca, saindo na frente de suas concorrentes com a utilização dessa ferramenta.

Para Philip Kotler “qualquer empresa que quer sobreviver deve aproveitar essas novas ferramentas de mídia social e usar a mídia digital para facilitar a execução de seus negócios. Não estamos abandonando o marketing tradicional. Estamos misturando o tradicional e o digital”, ressalta o autor em sua obra.

 

Como aplicar o Marketing 4.0 em sua empresa?

Perante as principais características do Marketing 4.0, como integração da marca com o consumidor; análises comportamentais dos clientes; marketing multicanal; e integração do tradicional com o digital, é necessário entender como aplicar essa nova tendência.

Para implementar o Marketing 4.0 nas empresas, é necessário entender alguns atributos indispensáveis que colocaremos logo abaixo. Assim, a marca poderá se destacar em seu segmento e, consequentemente, conseguir realizar ações de sucesso, fechando negócios significativos que contribuam para os lucros financeiros e para a visibilidade do empreendimento.

-Gerar laço emocional com o cliente, para criar uma conexão profunda com os consumidores;

-Gerar ações visuais em aspecto físico (design, layout etc);

-Gerar ideias inovadoras que cativem o cliente;

-Trabalhar ações de aspecto social, que provoquem encantamento nas pessoas, ouvindo e trocando ideias com os consumidores. Assim, serão encontradas soluções para os problemas dos clientes;

-Saber as fraquezas, limitações e, principalmente, os pontos fortes, utilizando-os a favor da marca.

O que o futuro espera

Pensando no que está por vir em um futuro muito próximo, há profissionais e autores do setor que acreditam no Marketing 5.0, o qual atingirá ainda mais o lado emocional do público consumidor. Com isso, a previsão é de que as pessoas sejam as próprias “embaixadoras da marca”, com responsabilidade ambiental, social e corporativa em conjunto.

Mas vale ressaltar que, sendo online/digital ou offline/tradicional, é necessário que as empresas e os empreendedores busquem sempre a comunicação de qualidade dentro e fora da corporação. Assim, se tornará, constantemente, referência na área em que atua, conquistando cada vez mais o consumidor e o mercado, atraindo um número expressivo de novos clientes e fidelizando os atuais.

 

Autor: Barbara Helena – Analista de Comunicação da MITI Inteligência

Compartilhar: