Defina melhores estratégias com o monitoramento de palavras-chave

Quando queremos monitorar ou pesquisar uma informação, é preciso definir métricas e parâmetros para realizar um determinado acompanhamento. Uma das formas conceituais mais apropriadas é o uso do Monitoramento por Palavras-chave. Sua premissa básica é determinar, por meio de expressões, a busca do conteúdo desejado. Imagine que a sua empresa atue no ramo alimentício, logo idealizamos a necessidade de monitorar alguns pontos, como a marca, concorrentes e termos gerais da área, sobretudo no que se refere ao produto, que é a matéria-prima do seu negócio. Ao explorar esse contexto, identificamos assuntos ou temas para estabelecer uma base para o desenvolvimento do que queremos buscar.

Os Assuntos determinam um 1º nível de identificação no processo de Monitoramento por Palavras-chave. Na verdade, as expressões fazem parte de um tema, ou seja, elas estão alocadas e separadas pelo Assunto. Podemos usar a empresa MITI Inteligência como exemplo. Nisso, MITI seria a palavra-chave que estamos monitorando. Contudo, ela faz parte de um tema que podemos denominar como Institucional e que de maneira efetiva estamos capturando tudo o que gera essa palavra MITI, fazendo com que ela faça parte de uma 2ª instância do Institucional.

Para alcançarmos um resultado realmente satisfatório, é possível desenvolver antes de qualquer aplicação de monitoramento o que chamamos de Árvore de Palavras. Por meio dela, conseguimos visualizar melhor toda a nossa estrutura de pesquisa, visando tornar a captura desse conteúdo mais acessível para alcançarmos os resultados desejados. Como relatado no artigo Plataforma Integrada de Monitoramento”, será possível gerenciar toda essa informação diretamente por meio da ferramenta que a empresa MITI oferece a seus clientes.

Na MITI, quando contratam nosso serviço, logo solicitamos que o cliente faça o preenchimento de um briefing de monitoramento. Nele, procuramos conhecer mais sobre o nosso parceiro, identificando quais são as principais dores do cliente e com base nelas determinarmos qual é a chave para o seu sucesso. Para que a marca tenha êxito, é de extrema importância determinar as referências para o Monitoramento por Palavras-chave. Somente por meio dessa especificação é possível dar o ponto de partida para iniciarmos esse acompanhamento eficaz.

Na Plataforma da MITI Inteligência, o próprio usuário pode realizar a inclusão dessas expressões para o monitoramento. Primeiramente, no aspecto comercial, são determinadas quantas palavras o cliente contratou. Na segunda etapa, passada a definição feita no briefing de alinhamento, vamos até a ferramenta e cadastramos os assuntos. Posteriormente, inserimos as palavras-chave e, por fim, fazemos a vinculação das expressões com os temas.

Voltando ao nosso exemplo anterior, sobre a MITI. Digamos que se monitore palavras com Big Data (grande conjunto de dados armazenados) ou Machine Learning (técnica que abrange a ideia de máquinas que aprendem sozinhas a partir de grande volume de dados). Essas expressões são campos de interesse para a nossa empresa e não pertencem ao tema que envolve a marca, logo, elas precisam ser vinculadas a um assunto pertinente a sua função, que poderiam ser Informática ou Assunto de Interesse.

A escolha das palavras-chave é fundamental para o processo de monitoramento, contudo é muito importante definir também os filtros de palavra-chave, que permitem implantar um refinamento para o conteúdo capturado. A Plataforma Integrada de Monitoramento da MITI permite o uso desse recurso, sendo utilizado por meio de condicionais “Deve Conter” ou “Não Deve Conter”. Assim, elas proporcionam determinar qual complemento de expressão pode ser usado em certa sentença. Um exemplo seria ter a palavra-chave “Imóvel” sendo monitorada. Digamos que eu queira dar um foco para a sua captura e queira relacionar com outro termo como casa ou apartamento, sendo assim, posso definir que a captura da palavra só ocorrerá quando ao menos uma das expressões complementares tiver citação no texto.

O Monitoramento por Palavras-Chave traz muitos benefícios e parâmetros na busca das informações, contudo, é necessário saber realizar uma boa escolha das expressões e também definir muito bem os filtros direcionados para esse processo. Nós mesmos já nos deparamos com clientes que tinham dificuldade em entender a metodologia ou até algumas situações em que a escolha não era muito apropriada em determinados termos. Portanto, o recurso está à nossa disposição e, desde que seja utilizado com sabedoria, gerará os resultados esperados.

Para uma melhor identificação do Monitoramento por Palavras-Chaves, é preciso utilizar algumas premissas básicas nesse processo analítico.

 

  1. Volume;
  2.  Dificuldade;
  3.  Oportunidade;
  4. Contexto Mercadológico;
  5. Status.

 

  1. Volume: Para escolher uma expressão de palavra-chave, é ideal fazer uma consulta em um site de busca. Por meio dessa opção, é possível ter um termômetro de como ela se comporta na Rede Mundial de Computadores. Por meio desse teste, temos a condição de estabelecer melhor a escolha daquilo que buscamos. Dessa forma, conseguimos obter que o “volume” é importante em nossa escolha.
  2. Dificuldade: Complementando a etapa anterior, conseguimos também validar a “dificuldade” do termo buscado. Muitas vezes órgãos e instituições possuem os nomes de forma abreviada e também de maneira completa. Em alguns casos, a forma mais curta pode implicar com outros termos parecidos ou existentes, selecionando um conteúdo incorreto para a proposta de monitoramento. Como exemplo, existe o Conselho Federal de Contabilidade que utiliza a sigla CFC. Ela, normalmente, pode ser confundida com o Coritiba Foot Ball Club, que possui a mesma sigla. Portanto, é melhor utilizar a palavra completa se for escolher uma única possibilidade e, se houver a hipótese de usar a abreviação, ela precisa contemplar filtros relacionados à área contábil para se tornar útil.
  3. Oportunidade: De forma subsequente, temos o aspecto de “oportunidade”. Quando escolhemos uma expressão, podemos levar em consideração na busca as opções que nos fornecem mais imagens ou vídeos, por exemplo. Isso nos dá a concepção que a repercussão ocorre em várias mídias de monitoramento.
  4. Contexto Mercadológico: Outro ponto a se levar em consideração é a questão do “contexto mercadológico”. Quando queremos que o nosso produto seja a ideia da busca, dizer qual é sua finalidade pode ser mais abrangente do que o próprio nome em alguns casos. Digamos que você tenha um software de gestão hospitalar e o nome dele seja em inglês, talvez seja mais fácil procurar pela função que ele exerce, do que propriamente pela nomenclatura, apesar de o ideal ser a busca por ambas as formas.
  5. Status: E para finalizar as recomendações, temos também o que chamamos de “Status”, que se referem as suas mídias compartilhadas (sites, blogs e redes sociais). Elas determinam de forma considerável a efetividade da divulgação do conteúdo em geral.

Como desfecho, podemos dizer que a identificação das expressões adequadas para Monitoramento por Palavras-chave é um fluxo estratégico no ramo de qualquer negócio, sendo útil tanto na localização de informações e também no suporte para tomar uma decisão importante. O que permite um melhor conhecimento da sua marca e também dos seus concorrentes na mídia, seja ela nos espaços tradicionais como sites, jornais, rádio e tv, mas, sobretudo, na febre incessante das redes sociais.

1.1 Cadastro de Palavra-Chave

 

 

1.2 Assuntos

 

 

1.3 Filtros de Palavras-Chave

 

 

Autor: Wesley Felipe Alves Vieira – Gestor de Customer Success da Miti 

Compartilhar: