Cultura da inovação: como implantá-la e otimizar toda a comunicação

A cultura da inovação é precursora da eficiência operacional. Por meio do incentivo ao conhecimento e à modernização, é possível desenvolver produtos e serviços mais adequados, implementar processos enxutos, motivar pessoas a serem mais produtivas e otimizar a comunicação organizacional, entre outras vantagens.

Com tecnologia, podem ser oferecidas ferramentas de trabalho apropriadas, que não atrasam o fluxo de tarefas e não demandam manutenção constante. Já com conhecimento, é possível trazer mais inteligência para a automatização de processos. De nada adiantaria, por exemplo, dispor de uma grande quantidade de dados estratégicos se não houvesse quem pudesse interpretá-los.

Por esse motivo, países mais avançados economicamente têm seus negócios impulsionados pela inovação. É o caso de Estados Unidos, Austrália e Canadá, segundo dados do relatório Global Entrepreneurship Monitor — Empreendedorismo no Brasil, publicado em 2016. O Brasil aparece na pesquisa entre países impulsionados pela eficiência, caraterística de nações com processos engessados e pouco inovadores.

Verdade um pouco contraditória, uma vez que o Brasil é um dos países mais empreendedores do mundo. Como analisar essa incoerência? Talvez pela dificuldade de financiamento de projetos, pela falta de incentivo tributário e por profissionais pouco qualificados para lidar com tecnologias — fatores que dificultam a manutenção das novas empresas no mercado.

Quer saber como implantar uma cultura da inovação na sua empresa e começar a mudança desse cenário? Continue a leitura!

Alinhe estratégia criativa à visão da empresa

É preciso começar alinhando os objetivos do negócio aos requisitos para inovação. Não podemos deixar de lado tendências como Machine Learning, Big Data, Inteligência Artificial, Cloud Computing e Internet das Coisas, principais agentes da transformação digital nas empresas.

Cabe ao gestor buscar a tecnologia mais adequada para o perfil do seu empreendimento e inibir a visão tradicionalista e ultrapassada de um negócio cuja estrutura ainda se mantém burocrática e verticalizada, ou seja, totalmente hierárquica e que não encoraja a participação de seus colaboradores nas decisões e iniciativas para assumir novas possibilidades e os riscos inerentes a esse novo conceito.

Forme um time multidisciplinar

A multidisciplinaridade da equipe é pré-requisito para uma empresa inovadora. Ela precisa ser plural, composta por pessoas com diferentes opiniões, históricos de vida e competências. Cabe ao profissional 4.0 desenvolver habilidades cognitivas e preditivas, ser proativo e saber lidar com recursos avançados da tecnologia.

Para motivar o desenvolvimento profissional e a capacidade de trabalho dos colaboradores, a empresa pode promover o job rotation — rodízio para que as funções laborais sejam executadas por outras pessoas. Além disso, é preciso disponibilizar cursos, treinamentos, workshops e outras ferramentas adequadas para que os profissionais possam realizar suas tarefas da melhor forma possível.

Promova a interação no trabalho

Crie oportunidades de participação em diferentes situações, por meio de estratégias de interação, incentivo e reconhecimento, para privilegiar o desenvolvimento da cultura da inovação na empresa. Para isso é preciso contar com:

  • equipes motivadas;
  • metodologias de trabalho aperfeiçoadas;
  • colaboradores com bom networking;
  • gestores com comportamento aberto e valorativo;
  • regras que impulsionam pesquisas e a geração de ideias.

Muitos gestores fazem reuniões periódicas para discutir projetos. Essa é uma excelente oportunidade para conceder e receber feedbacks acerca de mudanças necessárias para a melhoria dos processos.

Uma técnica interessante para estimular a participação é a Teoria dos 15%, em que é concedido aos colaboradores um período de 15% da sua jornada de trabalho para desenvolver novos projetos que estejam relacionados ao ramo de atividade da empresa e aos objetivos do negócio.

Essa interação também pode acontecer de outras formas, em ferramentas criadas exclusivamente para isso, como as de compartilhamento de tarefas e projetos ou simples aplicativos de mensagens instantâneas.

Desenvolva um laboratório de inovação

Esses locais são delimitados exclusivamente para eventos relacionados aos processos de inovação: maratonas de programação (hackathon), estratégias de gamification, dinâmicas interdisciplinares, entre outros.

Para impulsionar a cultura de inovação nas empresas, os gestores precisam motivar a participação e a iniciativa de todos os agentes nos processos, e isso pode acontecer por meio de ferramentas que otimizem o fluxo de informação corporativo. Quando trocamos ideias e privilegiamos a conversa, podemos descobrir novas abordagens para tarefas usuais.

Agora que você sabe como promover a cultura da inovação na sua empresa, que tal curtir nossa página no Facebook e acompanhar dicas de como melhorar o desempenho do seu negócio?

Compartilhar: